5 direitos trabalhistas que você tem e não sabe

5 direitos trabalhistas que você tem e não sabe

Pode-se conceituar Direito do Trabalho como o ramo da ciência jurídica que estuda as relações jurídicas entre os trabalhadores e os tomadores de seus serviços e, mais precisamente, entre empregados e empregadores.

Desse modo, o Direito do Trabalho surgiu, no contexto histórico da sociedade contemporânea, a partir da Revolução Industrial, com vistas a reduzir, por meio da intervenção estatal, a desigualdade existente entre capital (empregador) e trabalho (empregado). É exatamente daí que se extrai a principal característica do Direito do Trabalho: a proteção do trabalhador.

O Direito do Trabalho pode ser visto como um conjunto de regras de natureza privada e pública. Há uma série de regras cuja observância não pode ser rejeitada pela vontade das partes. São as regras que compõem o mínimo legal.

Por exemplo: o menor salário é o mínimo. Ninguém pode estabelecer ganhar um salário mensal relativo a 220 horas de trabalho que seja inferior ao próprio salário mínimo.

Por outro lado, também há uma série de regras nas quais predomina a vontade das partes, como nas convenções e acordos coletivos de trabalho.

Desta maneira, a Consolidação das Leis Trabalhistas (CLT) surgiu com o intuito de garantir a proteção do trabalhador (urbano e/ou rural), regular as relações de trabalho e criar o direito processual trabalhista. Ao garantir essa proteção, a lei trabalhista assegurou uma série de direitos trabalhistas para a classe operária, como o direito a férias, ao salário e ao 13º salário.

Desta forma, ainda existem muitos direitos trabalhistas que não são tão conhecidos.

Portanto, no artigo de hoje enumeramos 5 direitos trabalhistas que você tem e não sabe.

1-      o empregador tem o prazo de 48 horas para assinar a carteira de trabalho e a carteira do empregado a partir da admissão. Isto quer dizer que o empregado após ser admitido deve entregar a sua carteira de trabalho ao empregador, mediante recibo, onde o patrão terá que devolver a carteira do empregado em um prazo máximo de 48 horas para poder fazer as devidas anotações;

2-      o intervalo para alimentação é obrigatório. Nas jornadas que passarem 6 horas é obrigatória a concessão de um intervalo para repouso ou alimentação, o qual será no mínimo de 1 hora, não podendo exceder 2 horas;

3-      as horas extras não podem ultrapassar duas por dia. O trabalhador não pode trabalhar mais do que 10 horas por dia;

4-      5º- licença-paternidade para os pais trabalhadores. A lei ampliou a licença paternidade, com isso, os pais têm direito a 20 dias de licença;

5-       o intervalo entre uma jornada e outra é de 11 horas consecutivas, no mínimo. Segundo estabelece a CLT, entre duas jornadas de trabalho haverá um período mínimo de onze horas consecutivas para descanso. Dessa forma, o trabalhador não poderá ser chamado para cumprir mais uma jornada de trabalho, caso ele período de intervalo não seja cumprido.

Gostou do assunto? Deixe seu comentário ou dúvida abaixo. Nosso escritório conta com uma equipe que poderá te atender!
Sem Comentarios

Postar Comentario

Telegram

Siga a Diniz Advocacia no telegram

Entrar no canal
Fechar
× Posso ajudar?