Blog

Medidas emergências são anunciadas pelo governo quase que semanalmente, isso porque a crise sanitária no país só avança e é preciso criar mecanismos úteis que diminuam os impactos na vida dos brasileiros.

Nesse cenário, o INSS entendeu por bem em alterar a lógica de algumas regras e se adaptar a essa nova realidade. Dentre as medidas anunciadas até o momento temos:

Com o atual quadro de pandemia, o INSS acolheu as recomendações da OMS e fechou suas agências em todo o país. Contudo, o atendimento e as análises dos pedidos dos segurados não foram interrompidos, apenas passaram a ser realizados pela internet.

Neste caso, um eventual corte de aposentadoria durante o período de isolamento e quarentena, obriga o segurado a agir a distância, através dos canais digitais disponibilizados pela seguridade social, como o Portal Meu INSS ou aplicativo.

Não há dúvidas que a situação toda envolvendo o coronavírus é mentalmente desgastante, se considerarmos ainda o isolamento social, o comprometimento do emprego e da renda e a impossibilidade de ter contato com as pessoas próximas, o resultado é algo muito prejudicial à saúde mental.

Além disso, considerando que a atual crise sanitária não tem previsão de melhora, é possível que isso gere um grande quadro de ansiedade. Nesse cenário, com muitos serviços suspensos e o inevitável isolamento social, é necessário buscar ajuda médica para o correto diagnóstico e tratamento.

Muitos órgãos e setores da sociedade brasileira, assim que foi decretada a pandemia de coronavírus pela OMS, passaram a adotar as medidas sanitárias recomendadas pela organização.

Com o Instituto Nacional de Seguridade Social (INSS) não foi diferente, visto que fecharam as portas de todas as agências no país, com o intuito de evitar aglomerações e a transmissão do vírus.

O atual cenário é atípico e difícil para todos os trabalhadores, bem como para a sociedade como um todo, mas assusta ainda mais o grupo de trabalhadores informais (portanto, sem garantias trabalhistas). Mas eles não são os únicos com a renda familiar comprometido e a incerteza de manutenção de seus negócios.

Desde a decretação de pandemia e a confirmação dos primeiros casos de coronavírus no Brasil, o governo anunciou medidas para diminuir os impactos da crise sanitária na vida dos brasileiros, o auxílio emergencial é uma delas. 

O atual cenário de instabilidade e incertezas faz com que muitos brasileiros busquem soluções eficazes para garantir seu sustento e bem estar de forma rápida, tendo em vista que a situação pode se alterar a qualquer momento, com o possível agravamento da crise sanitária.

Com o fechamento das agências do INSS em todos os estados do Brasil, a preocupação com a demora na concessão de benefícios previdenciários só faz aumentar.

Telegram

Siga a Diniz Advocacia no telegram

Entrar no canal
Fechar
× Posso ajudar?